Arquivo de neutralidade da rede

Anacronismo do judiciário: uma obviedade.

Posted in Brasil, Nosso Mundo with tags , , , , on março 31, 2011 by Daniel Duende

É o óbvio ululante que o cargo de juiz é um cargo político e não técnico, mas quando a política por trás do magistrado permite que tenhamos — em pleno século XXI — juízes que não sabem nem ligar um computador (e muito menos entendem qualquer coisa sobre a internet e as redes), isso coloca em cheque toda a mínima confiabilidade que um juiz pode ter enquanto pessoa capaz de julgar qualquer mérito da atualidade. Se nossos juízes não entendem do mundo em que vivem e atuam, eles entendem de quê?

Se profissões consideradas humildes como lixeiro e carteiro já demandam conhecimentos mínimos de informática daqueles que a elas se candidatam, por que DIABOS nossos juízes ainda podem se dar ao luxo de não saber ligar um computador, quiçá entender o que é neutralidade da rede ou a importância da privacidade de dados online? No país em que ainda temos cartórios particulares enriquecendo na exploração de serviços que o governo poderia, e deveria, estar provendo, nossos juízes matutos digitais são só mais uma prova de atraso.

Ei você aí, que se acha muito moderno porque pode comprar um Ipad no shopping da sua vizinhança e tuitar sobre seu tédio, o que você acha de viver em um país tão atrasado? Não é óbvio que se continuarmos por este caminho, nossa justiça vai continuar indo de mau a pior? Não dá para esperar até que a vítima da matutice da justiça seja você.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.