Estes selvagens jogadores de World of Warcraft (ou “Os Nativos de Azeroth”)

A WoWGirl blogou que:

O sociólogo William Sims Bainbridge passou 2300 horas no World of Warcraft procurando por ‘insights’ sobre a civilização ocidental.

[…]

Ele jogou com todas as raças e todas as classes, maximizou várias profissões; tudo em nome do objetivo de encontrar paralelos entre o mundo do jogo e o mundo ‘real’. Seus achados foram parar em um livro: “The Warcraft Civilization: Social Science in a Virtual World,”, à venda no Amazon.com.

Bainbridge começa cada capítulo do livro com um comentário de um dos 22 personagens que ele jogou, utilizando isso como um trampolin para as maiores questões da humanidade a partir do ponto de vista do personagem. Através de sua experiência no jogo, ele aborda questões de religião, de aprendizagem, cooperação, economia e muito mais.

Como bom (e adicto) jogador de World of Warcraft (o que é isso?) que sou, fiquei curioso para ler o trabalho do cara. Eu mesmo já teci algumas considerações sobre a “Sociedade Warcraft”, mas meu bom senso me fez deixar todas elas na lista de “rascunhos” deste blog. Quem sabe um dia eu tenha algo mais substancial a dizer sobre o assunto…

Por hora, quero descobrir onde compro este livro. (além da Amazon.com). \o/

Leia mais no blog da WoWGirl.

p.s. este post é uma tentativa SINCERA de fazer com que este blog não fique viciado no comentário político e na ventilação de minhas frustrações político-sociais. Eu tenho consciência de que blog de política é mais chato do que druida que acha que typhoon é uma magia que ajuda o tank em seu trabalho. #wowinsidejokedetected.

UPDATE 13/05/2010

O Pedrokell disse ali embaixo nos comentários que encontrou um torrent do livro, aqui:
http://thepiratebay.org/torrent/5492030/The_Warcraft_Civilization__Social_Science_in_a_Virtual_World

Colem o endereço no navegador, e boa sorte.

6 Respostas to “Estes selvagens jogadores de World of Warcraft (ou “Os Nativos de Azeroth”)”

  1. uau, gostaria muito, muuuuito de ler esse livro!
    tenho muitas considerações sobre a civilização ‘Warcraftana’, mas nada muito elaborado.

    espero ansiosa por seu post com suas idéias por essa sociedade, viu!

    • Pois é. Ontem mesmo, durante um PUG, eu estava pensando na forma como as pessoas reconhecem (ou rejeitam) a hierarquia subentendida entre tanks, healers e damagedealers (DPS). Em um grupo randomicamente gerado, de pessoas que possivelmente nunca tiveram contato antes, subendende-se uma boa parte das vezes a autoridade do tank sobre os DPS e a autoridade do healer sobre o andamento do dungeon run. Não há nenhuma surpresa nisso. Boa parte das pessoas tiveram contato com esta regra em algum momento já a tem introjetada. Mas — e aí vem a parte curiosa — apesar de obedecerem (ou às vezes não) ao tank, quando você diz a eles que eles estão recebendo ordens, quase todos eles se revoltam. Será que a autoridade do tank é do tipo que funciona de forma meio subliminar, e quando verbalmente reconhecida, é problemática? =)

  2. guiguimatanubs Says:

    sou homem

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: