Arquivo de janeiro, 2011

De volta ao Global Voices em Português

Posted in Global Voices, Vida Digital with tags , , , , , , , on janeiro 31, 2011 by Daniel Duende

Depois de aventuras e desventuras, algumas inenarráveis sob risco de arranjar mais inimigos do que gostaria, estou finalmente de volta ao velho lar — a equipe colaborativa de voluntários de tradução do observatório de blogosferas Global Voices em Português.

Ainda não deu para traduzir muita coisa. Hoje só consegui traduzir uma matéria porque fiquei ocupado organizando e tomando conta da página de cobertura especial dos Protestos no Egito, que precisava de um pouco de amor.

E por falar e amor, fiquei emocionado com a quantidade (e qualidade) das boas vindas que recebi de velhos amigos e colegas de equipe de todo o mundo nas listas internas de discussão do GV. Vocês são ótimos! Estava morrendo de saudades de trampar lado a lado com vocês! Valeu mesmo pelas boas vindas!

Aforismos

Posted in Brasília, Brasil, Nosso Mundo with tags , , on janeiro 14, 2011 by Daniel Duende

Ser um autêntico puxa saco não é a mesma coisa que ser uma pessoa autêntica. Pessoas autênticas estão dispostas a pagar o preço de pensar o que pensam, mas os autênticos puxa-sacos raramente se assumem como tais. Também não convém confundir polidez com política. A primeira termina e a segunda começa quando você começa a dizer aquilo que é conveniente para agradar o interlocutor, que provavelmente pode fazer por você algo que você deseja. Se o seu trabalho é mentir, também não convém dizer que trabalha com “fatos”. Aproveitar-se da ignorância das pessoas só porque isso é praxe não é justificável. Pelo contrário, é apenas uma prova da sua mediocridade moral. Por fim, se suas posições ideológicas mudam com os ventos políticos, você não é flexível. Você é um poltrão desprezível.

A propósito: O mundo está cheio de gente que ganhou dinheiro e se fez na vida mentindo, adulando e se mascarando. Isso não tem nada de especial, e não tem nada a ver com “vencer na vida”. Na verdade, é por culpa sua que tanta gente vive na merda enquanto você se acha muito moderno e esperto. #prontofalei.