Por falar em Estado policializado…

“Só um país que se considera em guerra constante com a sua população mantém um corpo regular de Polícia Militar com função de policiamento do ambiente e da população civis.”

Na maior parte dos países do mundo, inclusive nos países do oeste da Europa e nos EUA que adoramos imitar, as Polícias Militares se limitam manter a ordem dentro de instalações e ambientes militares. O Brasil é um dos poucos países do mundo onde a Polícia Militar é responsável pela “manutenção da ordem” de meios civis. Isso diz muito sobre nós, e sobre os maus hábitos que até hoje não abandonamos.

6 Respostas to “Por falar em Estado policializado…”

  1. […] another WordPress.com weblog « Calaboca já morreu (mas quem manda aqui são eles) Por falar em Estado policializado… […]

  2. estranho eh q exatamente os tais sofredores da epoca da ditadura estao no poder a 8 anos e as forcas policiais nunca tiveram tantos investimentos. A maior prova disso que vc falou eh que o exercito se concentra exatamente no sudeste, e esta sucateado, enquanto a policia tem sido cada vez mais aparelhada.

    As fronteiras descuidadas, a amazonia e outros estados, jogados `as tracas, enquanto no rio, sao paulo e em algumas cidades importantes (como brasilia) a quantidade de policiais (bem) armados assusta.

    Parece mesmo uma guerra, contra os cidadaos.. ..

    • Exatamente. Na mesma medida em que, aparentemente por conta de um trauma da Ditadura, nós Brasileiros ficamos com medo de ter um exército forte, também estamos — a geração que vivem a Ditadura e a geração posterior — cada dia mais reféns de uma Estado policializado. Enquanto nossas fronteiras e riquezas nacionais estão entregues ao estrangeiro — e até prendemos quem queira se manifestar contra! — somos cada dia mais cercados de policiais armados até os dentes, que aplaudimos toda vez que matam um “bandido” e nos mantém a salvo… de nós mesmos. Ê Tupiniquim!

      • É a política do medo e do terror.
        Se vc tem a quem temer, precisa de alguém para te proteger…
        E assim se retroalimenta o monstro.

    • Este conceito todo de estado policialesco deve ser entendido por uma ótica mais abrangente. Tem que deixar de ser reducionista.
      Antes de entrar entrando, vale falar que as PM (Polícias Militares) não são análogas as MP (Militar Police) dos EUA. AS “MP” são correlatas as PE (Polícia do Exército) aqui no Brasil, estas sim tendo atribuição e circunscrição restrita aos ambientes das bases militares, vilas militares e eventualmente os palácios de governo na esfera federal.
      Agora, entrando na pauta de fato, a proliferação de PM’s aqui no Brasil deve ser entendida como um fenômeno “político” e não de segurança pública. Tá tudo errado por aqui. Como podemos ter duas polícias e zero interação? Uma faz a prevenção e a outra a “investigação” (grosso modo de avaliar), mas a competição velada e corporativismo acabam inviabilizando o funcionamento esperado. Em todos os lugares existem divisões diferenciadas das polícias, mas não como a nossa bagunça de herança lusitana. Saca só, o nosso modelo (nosso?) faz um sucesso danado em ANGOLA !!! Fala Sério !!! Olha o nosso parâmetro…
      A correta divisão de policiamento atende não a elementos de atribuição dentro da cadeia de persecução policial mas sim ao elemento circunscricional, aonde a territorialidade é delimitador da atuação sob impacto direto da logística e do controle (controle interno e não do povo).
      Mas como dissemos, o elemento principal ao se visualizar as PM’s é seu amago político, braço armado de governadores, carta coringa para situações de greve. Nas greves, fazem de tudo, de descer a borracha na moringa do cidadão que contesta e reivindica, até dirigir ônibus quando os reivindicantes deixam de faze-lo. Não se acaba com as PM’s no Brasil tão sedo. Entenda-se acabar, como o resultado de unificação das polícias civis e militares.
      Os PC não querem, os PM ojerizam, e os governadores esbravejam. Perder o seu exército particular ? Perder este indispensável elemento de inserção controlada e intervenção descontrolada ? Deixar o braço de ‘inteligencia” política secar? De jeito nenhum !!!
      E segue falta de segurança pública… !!!

  3. yasodara.cordova@gmail.com.br Diz: “estranho eh q exatamente os tais sofredores da epoca da ditadura estao no poder a 8 anos e as forcas policiais nunca tiveram tantos investimentos. A maior prova disso que vc falou eh que o exercito se concentra exatamente no sudeste, e esta sucateado, enquanto a policia tem sido cada vez mais aparelhada.

    As fronteiras descuidadas, a amazonia e outros estados, jogados `as tracas, enquanto no rio, sao paulo e em algumas cidades importantes (como brasilia) a quantidade de policiais (bem) armados assusta.

    Parece mesmo uma guerra, contra os cidadaos.. ..”

    Acho que vc está meio equivocado(a) qd diz que as PMs tiveram tantos investimentos. Isso mostra o qt vc desconhece a realidade da Segurança Pública no Brasil. Aliás, em que país vc vive? Pq no Brasil não existe essa polícia equipada. Pelo contrário. Temos umas da polícias mais despreparadas do mundo e menos ainda equipadas, se comparadas ao poder de fogo de traficantes que comandam favelas e comunidades inteiras. Quanto ao modelo adotado no Brasil, esse modelo atual é justamente uma herança da época da Ditadura Militar, usado para fazer o trabalho sujo do Estado.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: