Archive for the Meu Mundo Category

O que não queremos saber sobre nós mesmos, sobre psiquiatria e suas drogas

Posted in Meu Mundo, Nosso Mundo with tags , , , , , , , , , , on março 21, 2011 by Daniel Duende

Em minha família, e em quase todas as outras que conheço, é senso comum de que os médicos tem sempre razão. Isso inclui as situações em que os médicos informam às pessoas (e às suas famílias) sobre o que estas mesmas pessoas sentem, qual o rótulo que se aplica a elas e… o pior de tudo… qual é o remédio para que elas se tornem “normais”. Antes dos 15 anos eu já sabia que tudo isso era bullshit — é o tipo de coisa que você nota quando a conta dos antidepressivos e remédios para dormir da família cresce sem parar, mas todos continuam cada dia mais tristes. O mundo lá fora é mais complicado do que gostaríamos que ele fosse, e por isso gostamos de fingir que existem soluções tão fáceis quanto pílulas da felicidade. Mas a verdade é que aquilo que enxergamos como doença é parte da nossa própria humanidade, e aquilo que enxergamos como cura pode muito bem nos deixar realmente doentes… ou nos matar. Ao tentar curar o que não é doença, nos tornamos cada dia mais doentes.

As pessoas são o que elas são, e não cabem nos rótulos que a medicina psiquiátrica inventou e as mídias tradicionais trataram de difundir para elas. Assista este (tocante) vídeo da Citizens Commission on Human Rights International (CCHR-Int) sobre a perversidade dos rótulos que estamos atribuindo principalmente aos nossos jovens:

Mas piores do que os rótulos é aquilo que fazemos com eles. Boa parte das pessoas, incluindo pais e mães e professores honestos e bem intencionados, não faz a menor idéia de que boa parte dos medicamentos psiquiátricos (e remedinhos para acalmar) podem causar depressão, surtos psicóticos graves, coma e morte. Não estamos apenas nos julgando e rotulando, mas estamos nos envenenando com drogas cuja existência se dá unicamente por conta dos interesses da indústria farmacêutica, que ganha milhões vendendo soluções falsas e perigosas para as questões insolúveis do humano — como as dores e os conflitos da alma.

Veja este vídeo, também da CCHR-Int, sobre os efeitos colaterais das drogas psiquiátricas que estamos administrando em nossas crianças:

Para quem quer saber mais sobre estas drogas, o CCHR-Int tem uma base de dados sobre avisos de risco e efeitos colaterais documentados da maior parte das drogas que estamos comprando, consumindo e acreditando hoje em dia.

Common and well-documented side effects of psychiatric drugs include mania, psychosis, hallucinations, depersonalization, suicidal ideation, heart attack, stroke and sudden death.  And that is a very partial list of the side effects documented by international drug regulatory agencies the world over.

Despite a tremendous amount of information available about psychiatric drugs and their adverse effects, the data has not been easily accessible or understandable to the general public.  It is for this reason that CCHR is providing you with information that is not easily available, but is documented.  So you can find the risks for yourself, your friends and family.”

Anúncios

Falar é sempre muito fácil (o difícil é aprender a calar a boca e fazer o que tem que fazer)

Posted in Meu Mundo, Nosso Mundo with tags , , , , on fevereiro 8, 2011 by Daniel Duende

Depois dos 18 meses de idade começa a se tornar cada vez mais fácil falar. E falar — e por vezes falar demais — é algo que a maioria de nós faz ao menos uma vez na vida (e mais provavelmente muitas). Alguns de nós são particularmente chegados em fazer discursos políticos, éticos, morais ou de algum tipo híbrido entre eles, incluindo auto-exaltações discretas e apontamentos (discretos ou não) de indicadores nas caras alheias. Mas falar é sempre muito fácil. O que a maior parte de nós esquece é que toda palavra é vã quando não é sustentada por atos, e que quando a gente aponta o dedo na cara dos outros, tem sempre pelo menos mais três dedos apontados para nós mesmos.

Dizeres sobre dedos a parte, é sempre sábio refletir sobre si mesmo honestamente antes de falar dos outros (ou de si mesmo, também), e já que você já está refletindo, aproveitar para refletir qual é a verdadeira relevância e os seus verdadeiros motivos para abrir a boca. Na minha experiência, mais da metade das vezes em que eu fiz isso acabei decidindo ficar calado, e tenho a impressão de que tornei o mundo um lugar um pouco menos estúpido ao menos por alguns segundos.

Não é à toa que o jeito mais fácil de se fingir de sábio é ficar de boca fechada e, de preferência, manter as mãos ocupadas.

A crença e a suspensão de descrença

Posted in Meu Mundo, Nosso Mundo with tags , , , , on fevereiro 4, 2011 by Daniel Duende

Hoje, respondendo a mais um cristão incomodado com as críticas que fazia a seu Papa em meu já encerrado blogue Alriada Express, me lembrei de um post que comecei a escrever certa vez  e nunca terminei. Tentei resgatar este post aqui,  não em sua (verborrágica) literalidade, mas ao menos em essência (e creio eu, uma essência bem mais enxuta).

Já observaram a forma como, para a maioria das pessoas, a fé toma a forma de uma cegueira seletiva? Calma, eu explico. A maior parte das pessoas (e eu posso estar aqui muito bem falando também de mim e de você) parecem confundir crença com cegueira quando se alinham — ou afiliam — com esta ou aquela Instituição Religiosa ou Política (duas “coisas” que no fundo são quase a mesma coisa). Ao mesmo tempo que se tornam exageradamente bem dispostos a aceitar quaisquer afirmações feitas pela instituição, com pouco ou nenhuma crítica a respeito de seu conteúdo, estas mesmas pessoas parecem impermeáveis a quase qualquer crítica ou evidência desabonadora a respeito de sua(s) instituição(ões) de escolha.

Continue lendo

Confissão de quem não inveja os analfabetos

Posted in Meu Mundo with tags on setembro 28, 2010 by Daniel Duende

Sabe o que mais me tortura toda vez que tenho que escrever um texto? Saber que, se eu conseguisse escrevê-lo ele seria um bom texto, mas na maior parte das vezes eu tropeço e caio no meio do caminho.

Das dores de um livreiro digital…

Posted in Meu Mundo, Vida Digital with tags , , , on março 16, 2010 by Daniel Duende

Falando agora de coisas mais leves…

O meu trabalho no Sebinho me causa uma grande dor: uma parte de meu trabalho é revirar prateleiras e estandes em busca de livros e revistas legais, e publicar as dicas no twitter do Sebinho. Neste processo, todo dia estou descobrindo livros absurdamente interessantes que precisoooo ler o quanto antes. O problema, se é que isso deveria ser chamado de problema, é que quase todas as minhas descobertas vendem em menos de duas horas, e eu tenho que ficar torcendo pra que estes livros apareçam de novo por lá para que eu possa, enfim, lê-los. Esta vida de livreiro é cheia de dores… =)

Cada macaco no seu nicho (!?)

Posted in Meu Mundo with tags , , on fevereiro 9, 2010 by Daniel Duende

Toda vez que releio algum post meu sobre política, ou sobre estes outros assuntos que eu adoro detestar, sempre fico com a sensação de que deveria ter ficado calado, ou me limitado a falar daquilo que gosto e sei discorrer a respeito…

Por falar nisso… vocês jogam World of Warcraft? =)

Acho que preciso de uma cerveja…