Archive for the Brasil Category

Partido político não é religião, time de futebol ou marca de console

Posted in Brasil, do Facebook, Nosso Mundo with tags , , on outubro 5, 2012 by Daniel Duende
partido político não é time de futebol, nem escola de samba, nem grêmio associação de boi. Partido político não é a Horda nem a Aliança, não é Beatles nem Stones. Não é Nintendo nem Sony. Partido político não é religião (embora andem se confundindo ultimamente). Partido político não pode nem deve ser amado incondicionalmente, defendido além da verdade e da razão, digno das maiores indignidades em seu nome.

Um partido político é um grupo de pessoas com idéias afins (acredite, a idéia é que eles tivessem idéias!) que se organiza em prol de um projeto de país e de governo (essa coisa que também saiu de moda). Se você defende o seu partido político cegamente, acriticamente, estupidamente, você não me dá escolha: eu vou acreditar que você é cego, acritico e estúpido.

Anúncios

Anacronismo do judiciário: uma obviedade.

Posted in Brasil, Nosso Mundo with tags , , , , on março 31, 2011 by Daniel Duende

É o óbvio ululante que o cargo de juiz é um cargo político e não técnico, mas quando a política por trás do magistrado permite que tenhamos — em pleno século XXI — juízes que não sabem nem ligar um computador (e muito menos entendem qualquer coisa sobre a internet e as redes), isso coloca em cheque toda a mínima confiabilidade que um juiz pode ter enquanto pessoa capaz de julgar qualquer mérito da atualidade. Se nossos juízes não entendem do mundo em que vivem e atuam, eles entendem de quê?

Se profissões consideradas humildes como lixeiro e carteiro já demandam conhecimentos mínimos de informática daqueles que a elas se candidatam, por que DIABOS nossos juízes ainda podem se dar ao luxo de não saber ligar um computador, quiçá entender o que é neutralidade da rede ou a importância da privacidade de dados online? No país em que ainda temos cartórios particulares enriquecendo na exploração de serviços que o governo poderia, e deveria, estar provendo, nossos juízes matutos digitais são só mais uma prova de atraso.

Ei você aí, que se acha muito moderno porque pode comprar um Ipad no shopping da sua vizinhança e tuitar sobre seu tédio, o que você acha de viver em um país tão atrasado? Não é óbvio que se continuarmos por este caminho, nossa justiça vai continuar indo de mau a pior? Não dá para esperar até que a vítima da matutice da justiça seja você.

Por falar em Estado policializado…

Posted in Brasil, Nosso Mundo with tags , , , on março 21, 2011 by Daniel Duende

“Só um país que se considera em guerra constante com a sua população mantém um corpo regular de Polícia Militar com função de policiamento do ambiente e da população civis.”

Na maior parte dos países do mundo, inclusive nos países do oeste da Europa e nos EUA que adoramos imitar, as Polícias Militares se limitam manter a ordem dentro de instalações e ambientes militares. O Brasil é um dos poucos países do mundo onde a Polícia Militar é responsável pela “manutenção da ordem” de meios civis. Isso diz muito sobre nós, e sobre os maus hábitos que até hoje não abandonamos.

Brasil retrocede ao tempo das prisões políticas para fazer bonito para Obama.

Posted in Brasil, Nosso Mundo with tags , , , , , , , on março 21, 2011 by Daniel Duende

Em seu discurso durante visita ao Rio de Janeiro, Barack Obama elogiou o país por ter se tornado uma democracia e ter deixado para trás os tempos da ditadura. Mas naquele exato momento, e por conta de sua visita, estávamos regredindo a práticas típicas dos tempos de ditadura. Treze manifestantes foram presos durante protestos contra a vinda de Obama no Rio, após a explosão de um coquetel molotov. Até onde se sabe, não há prova alguma de que qualquer um deles tenha envolvimento com o artefato explosivo. Foram presos apenas porque estavam lá, protestando, quando a explosão aconteceu.

Acusados sem prova alguma dos crimes de lesão corporal e incêndio (segundo as fontes às quais tive acesso), os 13 brasileiros — incluindo um rapaz de 16 anos e uma conhecida vovó de 70 anos torcedora do Fluminense — foram enviados para presídios fluminenses e tiveram suas cabeças raspadas.

Raspar a cabeça dos presos é uma forma de agredir-lhes a identidade e a individualidade, tornando-os mais sensíveis à tortura e ao terror psicológico. É um expediente comum nos presídios políticos de Abu Ghraib e Guantanamo, onde os EUA torturavam e torturam seus presos políticos (de forma semelhante à que fazíamos durante a nossa Ditadura, que também se deveu em parte a uma tentativa de agradar os EUA). Não podemos deixar baratos estes dias em que o Brasil macaqueou o Estado Terrorista Norte-Americano e relembrou o próprio passado ditatorial.

Continue lendo

Calaboca já morreu (mas quem manda aqui são eles)

Posted in Brasil, Nosso Mundo with tags , , , , , , , , , , on março 17, 2011 by Daniel Duende

Ouvi rumores de que a alta casta do Partido dos Trabalhadores, há quem diga até que a própria Presidenta, teriam proibido categoricamente qualquer tipo de manifestação anti-EUA ou anti-Obama por parte de todos os seus membros. Se os rumores se confirmarem, isso será algo muito sério. Mais do que censura, isso beira o sovietismo — “a cúpula do partido decidiu que vocês não irão se manifestar”. Taí a chance para os apoiadores da Presidenta (e os apoiadores que restam ao PT) tentarem se defender.

Se por um lado é bom para o Brasil ter boas relações com os EUA — como dizem e insistem alguns, com seu quinhão de razão — por outro lado proibir manifestações é o último passo antes de se instaurar uma ditadura. Acho importante que todos mantenham isso em mente, acima da fé cega e estúpida em qualquer partido ou religião política.

Os milhões da cultura de Donana Amsterdam são pra quem pode, não pra quem quer (ou “governo é pra quem tem poder”)

Posted in Brasil, Bridgebloggando eu mesmo, Nosso Mundo, Vida Digital with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on março 16, 2011 by Daniel Duende

Disclaimer: Eu não ia blogar a respeito, porque tenho me abstido (ê palavra estranha) de meter minha feérica colher na deprimente política brasileira da qual não espero mais nada. Mas como muitas pessoas queridas vem insistindo para que eu fale sobre o assunto, registro aqui meu desabafo, pouco mais do que um copia e cola de comentários que fiz aqui e ali sobre o tema.

Estão todos falando (e sacaneando) do tal blogue que não é blogue da Maria Bethania — aquele com 365 vídeos de Andrucha Waddington e que vai custar um milhão e trezentos mil reais. E a soma parece mesmo impressionante para a realização de um blog (embora tenha órgão do governo que é acostumado a pagar absurdos por coisas simplórias na internet), mas segundo dizem alguns é até razoável quando se trata de um projeto que envolve 365 vídeos de um minuto realizados por profissionais que costumam cobrar caro. O milhão é para os vídeos, e não para o blogue em si. Tá entendido assim? Parece que sim. Mas o buraco é muito mais embaixo.

Continue lendo

Aforismos

Posted in Brasília, Brasil, Nosso Mundo with tags , , on janeiro 14, 2011 by Daniel Duende

Ser um autêntico puxa saco não é a mesma coisa que ser uma pessoa autêntica. Pessoas autênticas estão dispostas a pagar o preço de pensar o que pensam, mas os autênticos puxa-sacos raramente se assumem como tais. Também não convém confundir polidez com política. A primeira termina e a segunda começa quando você começa a dizer aquilo que é conveniente para agradar o interlocutor, que provavelmente pode fazer por você algo que você deseja. Se o seu trabalho é mentir, também não convém dizer que trabalha com “fatos”. Aproveitar-se da ignorância das pessoas só porque isso é praxe não é justificável. Pelo contrário, é apenas uma prova da sua mediocridade moral. Por fim, se suas posições ideológicas mudam com os ventos políticos, você não é flexível. Você é um poltrão desprezível.

A propósito: O mundo está cheio de gente que ganhou dinheiro e se fez na vida mentindo, adulando e se mascarando. Isso não tem nada de especial, e não tem nada a ver com “vencer na vida”. Na verdade, é por culpa sua que tanta gente vive na merda enquanto você se acha muito moderno e esperto. #prontofalei.